Toda empresa que possui mais de três ambientes ou equipamentos refrigerados deve pensar na adoção de um sistema de compressores em paralelo – chamado popularmente de rack – como solução frigorífica mais eficiente, mecânica e energicamente falando.

Num sistema tradicional de refrigeração, cada câmara ou instalação frigorificada precisa de um compressor e um condensador dedicado a elas. Já os racks permitem a utilização de diversos compressores interligados a um ou mais condensadores, servindo todos os pontos refrigerados de forma simultânea.

“Do ponto de vista técnico, esse tipo de central de produção de frio supre, perfeitamente, a demanda de supermercados, açougues, indústrias alimentícias, centros logísticos e outras instalações comerciais e industriais”, salienta o engenheiro mecânico Edson Girelli, da Girelli Refrigeração.

Sua eficiência energética, que também proporciona melhor desempenho mecânico, se traduz em diversas vantagens, como menor carga instalada.

“É possível operar o sistema de refrigeração conforme a demanda. Existem casos em que apenas 70% da carga instalada é utilizada no mesmo instante, pois sempre há evaporadores em degelo ou câmaras sem necessidade de trocar calor, por já terem atingindo sua temperatura programada”, exemplifica.

“Evidentemente, tudo isso deve ser bem planejado, ou seja, essa solução só pode ser adotada depois da elaboração de um criterioso projeto de engenharia térmica”, acrescenta.

racks de compressores

Compressores interligados em paralelo chegam economizar 50% de energia elétrica em relação aos sistemas frigoríficos tradicionais

Menos é mais

Em um sistema de rack, é comum o número total de compressores diminuírem pela metade, ou até 1/3 da necessidade usual em sistemas tradicionais. Graças a isso, é possível utilizar compressores mais eficientes e de melhor qualidade.

“Isso também vale para os ventiladores dos condensadores, que são outro vilão do consumo de energia elétrica”, diz Girelli, lembrando que, num sistema ponto a ponto, o ventilador do condensador só pode ficar ligado ou desligado (on/off).

“Num rack, esse ventilador pode contar com um inversor de frequência e, assim, operar a meia capacidade de vazão de ar e consumir apenas 10% da energia elétrica que gastaria estando em sua capacidade nominal de aspiração de ar. Outra vantagem é a otimização do layout da planta frigorífica, que fica centralizada em algum local isolado das demais instalações do cliente”.

Em relação ao desempenho mecânico, as vantagens de rack são a otimização do processo de condensação, melhor controle de pressão, controle do nível real do óleo e possibilidade de se isolar um compressor com defeito e todo sistema ainda operar de forma parcial, sem parar de produzir de frio.

“Além disso, um rack possui separador de líquido integrado, algo opcional num sistema ponto a ponto”, ressalta.

Por essas e outras razões, os compressores interligados em paralelo chegam a economizar 50% de energia elétrica em relação aos sistemas frigoríficos tradicionais. O custo de manutenção deles também é menor, conforme sempre esclarecem os especialistas do setor.

Custo de manutenção dos racks frigoríficos também é menor


 

Comente: