Shannon Wayne Harrold, de 48 anos, foi condenado, em 9 de agosto, a 54 meses de prisão e obrigado a pagar multa de US$ 29 mil por violar a legislação ambiental norte-americana, quando cortou a tubulação de aparelhos de ar condicionado que roubou em 2015, para vender o cobre e outros componentes a depósitos de sucata, segundo informa o jornal Zanesville Times.

Em 25 de agosto do ano passado, a polícia foi chamada a uma loja em Whitehall, Ohio, para investigar uma tentativa de roubo de um ar-condicionado. À época, uma testemunha afirmou que um homem foi até lá, supostamente, para fazer a manutenção e trocar os filtros de uma unidade rooftop.

O homem, identificado como Harrold, estava vestindo uma camisa do uniforme da prestadora de serviços contratada pelo estabelecimento. No entanto, o empreiteiro disse que nenhum de seus colaboradores foi escalado para ir ao cliente naquele dia. Quando confrontado, Harrold, ex-funcionário desse empreiteiro, fugiu do local.

Mais tarde, verificou-se que o tubo do condensador de uma das unidades de ar condicionado havia sido cortado com uma serra elétrica. O prejuízo foi calculado em mais de US$ 20 mil.

Antes desse incidente, o tribunal foi informado que Harrold – preso em 18 de setembro de 2015, na sequência de uma perseguição policial em alta velocidade – tinha vendido 241 componentes para sucateiros em Columbus, Ohio.

Segundo informações do Cooling Post, essa não é a primeira vez em que ladrões são processados por lançar na atmosfera refrigerantes nocivos à camada de ozônio, ou a primeira vez que tal ação ocorreu em Ohio.

Em 2014, Martin C. Eldridge III, de Columbus, declarou-se culpado na Corte Distrital dos EUA pelo escape de R-22 durante o roubo de aparelhos de ar condicionado.

Na Geórgia, em 2012, Alexander Morissette e Randall Scott Wimpey foram condenados, respectivamente, a 15 meses e seis anos e meio de prisão por fazerem a purga do refrigerante de aproximadamente 20 unidades de ar condicionado em um roubo.


 

DEIXE SEU COMENTÁRIO