Brasil, quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Refrigerador iniciou incêndio que matou 79 pessoas em Londres

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A perícia ordenada pelo governo britânico logo após o incêndio que destruiu 151 apartamentos e matou 79 pessoas na Torre Grenfell, em Londres, confirmou ontem (23) que o fogo começou num refrigerador Hotpoint FF175BP, equipamento fabricado pela Whirlpool.

Num comunicado distribuído à imprensa, o fabricante informa ter solicitado acesso ao eletrodoméstico para colaborar com as investigações.

“Estamos tratando isso como uma questão de máxima urgência e auxiliando as autoridades de todas as maneiras possíveis. Vamos fornecer atualizações adicionais à medida que as investigações progridam”, salientou a empresa.

“Oferecemos nossas mais profundas condolências às vítimas, àqueles que perderam entes queridos, casas e posses, e para os seus amigos e famílias. Nossos pensamentos e orações estão com todos os envolvidos, incluindo os bombeiros que arriscaram suas vidas para extinguir as chamas e salvar outras pessoas no edifício”, acrescentou.

Estima-se que a Whirlpool tenha fabricado 64 mil refrigeradores Hotpoint FF175BP (branco) e FF175BG (grafite) entre março de 2006 e julho de 2009, quando a linha foi descontinuada.

Refrigerador Hotpoint

Whirlpool fabricou cerca de 64 mil refrigeradores Hotpoint entre 2006 e 2009

Próximos passos

O governo do Reino Unido diz que, neste momento, não há nenhuma razão específica para os consumidores desligarem seus aparelhos, pois tudo ainda depende de uma investigação mais aprofundada.

Os clientes foram aconselhados a aguardar mais orientações do fabricante e a seguir as recomendações básicas de segurança, como não sobrecarregar as tomadas e garantir que os cabos do aparelho não apresentem danos, verificando se eles estão em boas condições.

“A segurança dos consumidores é primordial”, disse o secretário do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial, Greg Clark. Segundo ele, o eletrodoméstico está sendo submetido a testes rigorosos para determinar a causa do fogo.

“Tenho deixado claro para a empresa que eu vou esperar que ela substitua quaisquer produtos sem demora, caso seja provado que exista algum risco em usá-los”, afirmou.


 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Compartilhe.