Brasil, quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018

Bombeiros de Londres exigem geladeiras mais seguras após incêndio

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O Corpo de Bombeiros de Londres, conhecido como London Fire Brigade (LFB), vem reforçando os pedidos por melhores padrões de fabricação de refrigeradores após o incêndio na Grenfell Tower.

O fato de a corporação solicitar uma revisão independente do caso, chefiada pela engenheira e funcionária do governo Judith Hackitt, reitera as preocupações acerca da segurança dos refrigeradores domésticos.

Em junho deste ano, mais de 70 pessoas morreram nos apartamentos da Torre Grenfell. O fogo começou em um refrigerador Hotpoint FF175BP, eletrodoméstico fabricado pela Whirlpool.

Leia também
Refrigerador iniciou incêndio que matou 79 pessoas em Londres
Recarga com GLP faz refrigerador ir pelos ares
Substitutos falsos do R-22 põem refrigeristas em perigo

Ao exigir uma investigação independente, o corpo de bombeiros londrino destacou a importância de prestar atenção ao carregamento de combustível (a quantidade total de material inflamável em um espaço definido) nos lares e o efeito que isso pode ter sobre a estrutura e suas medidas de segurança contra incêndio.

O LFB tem uma preocupação especial com a refrigeração doméstica, pois as geladeiras normalmente funcionam 24 horas por dia, e muitas possuem a parte traseira revestida de plástico inflamável que, por sua vez, cobre a espuma de poliuretano também inflamável.

Segundo relatos, os próprios testes de fogo do corpo de bombeiros mostraram que a propagação da chama em um painel traseiro de plástico pode ser tão rápida quanto 1 cm por segundo e produzir calor a uma velocidade de cerca de 320 kW.

Com isso, as chamas se espalham mais ainda conforme o fogo envolve a espuma de poliuretano. Além disso, a queima do material isolante cria gases perigosos.

Em apelos anteriores para melhorar a segurança, os bombeiros argumentaram que não existe nenhum requisito legal ou padrão da indústria para que o isolante térmico seja protegido contra um incêndio causado por uma falha no compressor, capacitor ou em outros componentes auxiliares.

O LFB também insiste que o isolante de poliuretano deve sempre estar devidamente protegido contra um incêndio. E a brigada ainda quer um novo padrão em que os compartimentos do compressor e toda parte traseira de um refrigerador tenham um nível adequado de retardamento de chama.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Compartilhe.