Maior cooperativa de consumo da América Latina, a Coop segue na contramão da crise econômica. A rede, que emprega 5.300 pessoas e possui 29 supermercados, dez drogarias de rua e três postos de combustíveis, em sua maioria na região do ABCD e no interior paulista, investiu R$ 70 milhões em 2015 e alocará mais R$ 110 milhões em 2016 em expansão e projetos de reforma e revitalização das unidades.

Boa parte deste investimento é direcionada para a cadeia do frio e, principalmente, para novas tecnologias capazes de economizar energia, um dos maiores custos de operação da rede. “Em 2015, o custo de energia elétrica aumentou 51%, mesmo com contratos de compra de energia no mercado livre, e representou despesa superior a R$ 20 milhões”, revela o gerente de manutenção, Marco Antonio Feresin.

No ano passado, a Coop inaugurou sua loja mais moderna e sustentável, na cidade de Tatuí, no interior do estado, onde são usados balcões frigoríficos fechados, iluminação LED em todas as instalações, inclusive nas câmaras frias, e motores eletrônicos, entre outras inovações.

O sistema de ar condicionado aproveita a entalpia favorável do ar externo para redução do consumo de energia e dispõe de captação da água de condensação para reúso. Outra novidade é o estacionamento com sistema de controle da concentração de monóxido de carbono, vagas sinalizadas e um sistema de ventilação por indução, que garantem a qualidade do ar.

Também no ano passado, a unidade Joaquim Nabuco, localizada em São Bernardo do Campo, passou por um completo retrofit. Somente na área de refrigeração, o aumento da área instalada foi superior a 190%.

coop-danfoss-img_2016-2

Novos projetos da Coop são pensados para privilegiar a cadeia de refrigeração, diz gestor da rede

“Passamos de 102 metros para 117 m lineares de gabinetes refrigerados, de 124 metros quadrados para 260 m2 nas áreas de câmara de refrigeradas, de 65 m para 74 m lineares de ilhas congeladas, de 40 m2 para 67 m2 nas áreas de câmaras congeladas, além de inserirmos 152 m2 de áreas climatizadas de preparos”, informa.

“Todos os novos projetos são pensados para privilegiar a cadeia de refrigeração, sobretudo a questão da retaguarda, isto é, receber, estocar e processar melhor”, destaca Feresin.

Para ambas as lojas, a Danfoss, em projeto desenvolvido em parceria com a Plotter Racks, forneceu um conjunto de controladores para automatização dos sistemas de refrigeração e ar condicionado, entre os quais os racks de refrigeração, os condensadores, as câmaras frias, os balcões refrigerados e as áreas de preparo, além do sistema de climatização.

Esse conjunto de controladores é chamado de Adap-Kool, tecnologia que busca atingir a eficiência máxima do sistema de refrigeração e, com isso, reduzir o consumo de energia, diminuir custos de manutenção e mitigar perdas.

Assim como em projetos anteriores, a Danfoss forneceu as seguintes soluções: AK-SM 880, um gerenciador que fornece informações de forma remota via PC ou APP da planta; e AK-CC, responsáveis por controlar balcões frigoríficos, câmaras frias e geladeiras.

De acordo com o engenheiro da Coop, a economia de energia com a adoção de novos sistemas de refrigeração e controles é superior a 30%. “Não é só a economia de energia. Devido às novas tecnologias, reduzimos o custo de manutenção e as perdas. Com isso, o investimento se paga em dois anos facilmente”, estima.

Considerando que pelo menos 70% do custo da energia vêm de refrigeração e ar condicionado, o próximo passo, de acordo com o gerente de manutenção, é a implantação de departamento de monitoramento.

“A ideia é acompanhar em tempo real todos os sistemas de refrigeração e detectar no ato caso algo saia do parâmetro, para que seja tomada a medida rapidamente, evitando perdas e consumo desnecessário de energia.”

A parceria entre a Coop e a Danfoss já existe há pelo menos sete anos. “As soluções da marca sempre atendem as nossas necessidades. O interessante é que vamos evoluindo junto com as tecnologias, que vão se aprimorando e alcançando cada vez maiores níveis de excelência”, arremata.

coop-danfoss-img_2003-2

Com as novas tecnologias, cooperativa de consumo também reduziu perdas e o custo de manutenção

 


Fonte: Assessoria de imprensa da Danfoss

 

Comente: