Depois de registrar um enorme índice de estocagem em 2014, ano que antecedeu as restrições atualmente impostas ao uso de hidrofluorcarbonos (HFCs) em sistemas de refrigeração e ar condicionado, a oferta de gases fluorados com efeito estufa (F-gases) na União Europeia diminuiu 29%, caindo para 183,3 milhões de toneladas equivalentes de CO2 (MtCO2eq) em 2015.

Esses números constam do recém-divulgado relatório da Agência Europeia de Meio Ambiente (EEA, em inglês). O documento, no entanto, mostra que o consumo dessas substâncias subiu quase 12%, em relação a 2013.

Em termos de CO2eq, os HFCs representaram 85% do total de F-gases fornecidos ao mercado europeu. O suprimento total desses gases, incluindo perfluorcarbonos e outros compostos perfluorados, foi de 214,5 MtCO2eq em 2015.

As importações totais de gases fluorados foram, na realidade, 40% inferiores às quantidades excepcionalmente elevadas em 2014, tanto em termos de peso líquido, como de CO2eq. Com exceção de 2014, as importações a granel em 2015 foram as maiores desde que esses relatórios começaram a ser publicados, em 2007.

A regeneração de refrigerantes, considerada vital para a eliminação progressiva dos F-gases a longo prazo, aumentou de um total de 416 toneladas em 2014 para 648 toneladas em 2015, mas continua a representar menos de 1% do mercado.

Segundo o documento, o R-134a e o R-125 continuam a ser os HFCs mais utilizados nos países do bloco econômico, seguidos pelo R-143a e pelo R-32.


 

Comente: